ROI: entenda o que é e como aumentar o retorno da empresa

Vista superior de itens de negócios com gráfico de crescimento e mãos segurando setas
O que você encontrará aqui:

Para qualquer tipo de negócio, ter uma base de como está seu rendimento e o desempenho dele é uma métrica de suma importância. Com bons cálculos, você pode verificar se está tendo lucro em cima do investimento ou está tendo prejuízo no empreendimento.

Nesse sentido, com uma estratégia como o ROI, é possível traçar ações relacionadas com o resultado, seja para evoluir ainda mais ou para avaliar outros meios para o negócio voltar a crescer e a lucrar.

Quer entender como funciona essa métrica, qual a vantagem de utilizar sua base de cálculo e seus benefícios? Continue na Biti9 e aproveite a leitura.

O que é ROI?

O Return on Investment (ROI) é uma medida de desempenho usada para avaliar a eficiência e a rentabilidade de uma aplicação ou para comparar a competência de uma série de investimentos diferentes. Assim, o ROI tenta medir diretamente os resultados de um determinado valor investido em relação ao seu custo.

Dessa forma, é um método para identificar se vale a pena continuar com um investimento ou não. Em outras palavras, o ROI também pode servir como um avaliador de processos, visto que você entenderá sobre certas iniciativas da área.

Por exemplo, se houver mais saídas do que entradas naquele setor, há algo de errado que precisa, urgentemente, ser revisto e aprimorado. Caso contrário, a médio e a longo prazo, a saúde do negócio pode ficar ainda mais prejudicada.

Tecnologia e redução de custos operacionais: uma parceria de sucesso

Por que o ROI é importante para os negócios?

Apenas empresas que gastam sabiamente e monitoram o ROI sobrevivem a longo prazo — e isso é um fato inegável! Se você não está vendo um retorno ideal em um determinado esforço, o mais indicado é parar de investir em causas perdidas.

Afinal de contas, a principal vantagem dessa métrica é permitir que você veja os frutos do seu investimento, já que é importante ter uma visão macro ao administrar um negócio. Para manter o ROI em dia, a empresa deve sempre ter os números atualizados para analisar constantemente as entradas e as saídas.

Como calcular o retorno sobre o investimento (ROI)?

Existe uma versão bem simples da fórmula ROI para o resultado do cálculo. Confira a conta e veja um exemplo prático para compreender melhor:

  • ROI = Receita – Custo / Custo

Por exemplo, se um investidor compra o imóvel A, sendo avaliado em R$ 500 mil, e, dois anos depois, vende a propriedade por R$ 1 milhão.

Usamos a fórmula de ganho de investimento nesse caso:

ROI = (1.000.000 – 500.000) / (500.000) = 1

Com o resultado em mãos, o número deve ser multiplicado por 100 para saber a porcentagem real de quanto foi o ganho ou prejuízo. Sendo assim, o dono do imóvel teve um retorno de 100% do seu investimento.

Os cálculos do ROI são simples e ajudam o investidor em suas tomadas de decisão. Além disso, também pode indicar como um investimento tem sido realizado até o momento.

Dessa forma, ao usar a fórmula, o gestor pode separar aplicações de baixo desempenho de outras de alta performance. Com essa informação, a empresa pode ter uma visão completa e saber para quais departamentos, infraestruturas e soluções deve dar mais atenção.

Quais são os benefícios do ROI?

Entender seus lucros e o impacto de um investimento em sua empresa é imprescindível e extremamente útil na tomada de decisões. Sendo assim, conheça os benefícios do ROI assegurado para seu negócio:

1. Garante uma simulação fácil e simples

Bastam apenas duas informações para calcular o ROI: o benefício e o custo. Como um retorno pode significar coisas diferentes, sua fórmula é objetiva. Assim como foi o exemplo da compra e venda do apartamento, que pegou os valores de aquisição e venda para encontrar como foi o retorno sobre esse investimento.

2. É universalmente compreendido

O retorno sobre o investimento é um conceito universalmente compreendido, sendo garantido que, se você usar a métrica, as pessoas de diversos lugares saberão do que você está falando. Ou seja, se alguém perguntar algo a respeito, além de saber como fazer, você conseguirá explicar com assertividade.

3. Tem a melhor medida da rentabilidade

O foco principal do ROI está no nível de investimento exigido e, para uma determinada unidade de negócios, há ativos que ajudam a maximizar os ganhos. Uma análise de custo-benefício desse tipo ajuda os gestores a descobrirem qual taxa de retorno pode ser esperada a partir de diferentes propostas.

Isso permite, ainda, que eles escolham a melhor opção para aperfeiçoar o desempenho do lucro divisional e organizacional, bem como a utilização efetiva das aplicações existentes.

4. Alcança a coerência das metas

O ROI garante a congruência de metas entre as diferentes divisões e a empresa. Ou seja, ele permite que todas as metas tenham sentido e estejam conforme os cálculos reais da empresa. Assim, qualquer aumento na métrica trará melhoria geral à organização —o que também acontece se ocorrer o oposto, levantando um sinal de alerta.

5. Permite uma análise comparativa

A comparação entre diferentes unidades de negócios, como rentabilidade e utilização de ativos, é possível com o cálculo do ROI. Dessa forma, pode ser usado para relações entre empresas, desde que as organizações cujos resultados relacionados sejam de tamanho compatível e da mesma indústria.

O ROI é uma boa métrica, já que pode ser facilmente comparado com o custo de capital relacionado a momentos de tomada de decisão.

8 dicas práticas para aumentar a produtividade da sua empresa

Quais são os desafios para determinar o ROI?

Calcular o ROI nem sempre é claro, pois alguns investimentos se sobrepõem, dificultando a determinação do que gerou mais lucro. No caso dos gastos com postagens patrocinadas em redes sociais, por exemplo, pode não conseguir determinar se alguma plataforma de mídia social contribuiu na maioria para seus retornos.

Nesse cenário, pode ter outras aplicações contínuas para aumentar as vendas, como uma campanha mensal de boletins informativos por e-mail marketing. Apesar da dificuldade potencial de determinar o ROI de um investimento específico, a métrica ainda é muito útil ao tentar garantir que sua empresa ganhe mais do que gasta.

Por isso, não se preocupe com a precisão completa ao calcular o ROI e, ao invés disso, considere como você conseguirá medir resultados cada vez que fizer uma nova aplicação. Outros desafios que sua organização enfrentará são:

1. Concentre-se nas métricas positivas

Quanto mais dados e métricas positivas, maior será a probabilidade de suas estratégias de crescimento serem bem sucedidas. Nesse sentido, é crucial que o ROI esteja sempre atualizado e com os dados corretos para ter um gerenciamento dessas métricas da maneira ideal e sem risco de alterações bruscas de uma hora para outra.

2. Estar por dentro do mercado

Um gestor precisa estar por dentro dos desenvolvimentos do mercado para vencer os desafios do ROI. Para obter atualizações do negócio, você deve seguir as novidades da área de atuação da sua organização. Para isso, é importante ficar por dentro das últimas notícias, seguir perfis que falem sobre ou se inscrever em newsletters sobre o tema.

3. Não esconda informações da sua equipe

Os membros da equipe preferem saber exatamente qual é a situação da empresa em vez de sentir que estão sendo mantidos no escuro. A falta de informação pode evoluir para problemas que afetam o cálculo correto do ROI. Com isso em mente, você pode fazer um cronograma de envio semanal ou deixar acesso para um dashboard em tempo real para eles conferirem.

4. Avalie os investimentos

A fórmula de ROI permite que você avalie a eficiência de vários investimentos em períodos iguais de tempo. Ele pode ser usado de modo a determinar investimentos, por exemplo, na pesquisa de um plano financeiro para os próximos anos. Com isso, você pode usá-lo para avaliar suas aplicações quando precisar fazer alterações no planejamento da sua organização.

Quais são os investimentos em tecnologia e a vantagens competitivas?

Antes que uma nova tecnologia seja implementada, as empresas podem estar preocupadas em não conseguirem explorá-la plena e efetivamente. Quando você mede o ROI, tem informações suficientes para fortalecer sua organização e a chance de ficar à frente de seus concorrentes.

Com as soluções de tecnologia certas, sua empresa obtém uma vantagem competitiva ao fornecer ao cliente um serviço ou produto superior. Como resultado, a capacidade de a sua organização de inovar, vender e atender consumidores melhorará significativamente.

Como a automação de processos auxilia no ROI?

Investir em ações e softwares que tenham ROI é importante para eliminar o emprego desnecessário de recursos. Eles funcionam de modo automático, puxando todas as entradas e saídas postas em cada um dos setores. Desse modo, a própria ferramenta dará o número final do ROI a cada atualização do sistema.

Assim, contar com a automação de processos, como soluções baseadas em Robot as a Service (RaaS), exige planejamento para a empresa extrair todo o seu potencial. Com essa ferramenta, todo o processo ficará muito mais fácil e não demandará a mão de obra contínua para atualizá-lo.

Para tanto, contar com uma solução de RaaS, como a oferecida pela Biti9, reduzirá os custos e aumentará a performance da sua organização. Isso facilitará o processo até dos números mais difíceis de serem metrificados, garantindo resultados muito mais corretos e com cálculos exatos.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo. Para saber como o ROI pode se tornar a palavra de ordem no ambiente empresarial, continue acompanhando nossos conteúdos do blog. Nos siga no LinkedIn para conferir mais temas e ficar por dentro das novidades de negócios. Até a próxima!

Avalie esse post
Compartilhe
Este conteúdo foi escrito por
Adalberto Cunha
Adalberto Cunha
Adalberto Cunha é o CRO (Chief Revenue Officer) da Biti9. Formado pela FECAP e Universidade Mackenzie, acumulou diversas experiências em sua carreira, incluindo grandes empresas como Banco Safra, BCS e IBM (International Business Machines Corporation). Em 2010, fundou uma filial da Yogolove e, posteriormente, também trabalhou na Natura. Em 2015, co-fundou a Biti9 em parceria com Martin Luther Candido e Silva e, desde então, tem como missão ajudar empresas a reduzir erros e custos e a proporcionar mais agilidade no backoffice, implementando automações para realizar as atividades repetitivas de forma otimizada, utilizando tecnologias de RPA (Robotic Process Automation), OCR (Optical Character Recognition) e IA Generativa (Inteligência Artificial).

Receba nossos conteúdos

🔒 Seus dados estão 100% protegidos e jamais serão compartilhados. Ao se cadastrar, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Conteúdos relacionados

Pessoa tocando numa tela

7 dúvidas sobre como automatizar com RPA

Nos últimos anos, a tecnologia trouxe uma transformação para a forma como lidamos com produtividade nas empresas: o foco em expansão deu lugar à busca por otimização

Fale com um especialista

Ao enviar você concorda com nossa Política de Privacidade.