(11) 4119 5656 biti9@biti9.com.br

Desde que matemáticos começaram a programar computadores, o objetivo é fazer com que as máquinas façam alguns trabalhos por nós. Com RPA e IA, isso não somente é possível como também é efetivo para gerar mais eficiência nos processos e reduzir custos.

Neste post, apresentaremos as diferenças entre essas duas tecnologias e as vantagens de utilizá-las. Se quiser entender as possibilidades e como aplicar da melhor forma na sua empresa, confira todos os tópicos a seguir!

O que é RPA?

Um RPA (sigla para robotic process automation) é um software utilizado para executar tarefas repetitivas no lugar dos humanos. Ou seja, é uma aplicação que visa automatizar processos, mas de uma forma que envolva menos interferência humana do que as estratégias tradicionais de automação.

Uma vez que os funcionários humanos não perderão tempo com atividades repetitivas, podem focar no que fazem de melhor e beneficiar ativamente a empresa.

O que é IA?

Inteligência artificial é a área que estuda como tornar computadores mais autônomos, capazes de tomar decisões relevantes e simular artificialmente o processo de pensamento e aprendizagem do ser humano.

As aplicações de IA, hoje em dia, são inúmeras: desde softwares de reconhecimento de voz à visão computacional, que são utilizados nas mais diversas áreas — como medicina, esportes e na indústria.

Como cada uma funciona?

Uma aplicação RPA pode ser configurada somente por programadores ou por funcionários comuns. São utilizadas como “aprendizes” dos funcionários e, depois de submetidas a um treinamento, podem executar funções específicas.

Aplicações dotadas de inteligência artificial são, geralmente, capazes de aprender e ir além de funções específicas, se preparando também para o inesperado. Lidam com uma quantidade imensa de dados e cálculos robustos para gerar resultados.

A principal diferença entre as duas tecnologias é que os sistemas de RPA são treinados para se especializar em determinadas tarefas e não para decisões complexas; ao passo que os de IA podem até prever o futuro.

Quais são as vantagens?

Redução de custos e de erros humanos, maior velocidade e eficiência são alguns dos benefícios de um RPA. É também mais fácil integrá-lo aos sistemas internos. Ademais, vale ressaltar que robôs fornecem maior segurança quando lidam com informações sensíveis dos clientes.

Seguem dois exemplos de aplicação de RPA: no RH, os robôs podem reduzir as possíveis ocorrências de problemas com relação à folhas de pagamentos, contratos, entre outros; já no setor de atendimento, um software altamente treinado poderá oferecer um suporte mais rápido e eficiente, auxiliando na fidelização dos clientes.

Uma inteligência artificial também pode auxiliar na fidelização dos clientes, atuando na predição das preferências de compra deles. Sem contar com a machine learning e as novas estratégias inovadoras que podem ser desenvolvidas, destacando a empresa no mercado.

RPA e IA: como implementá-los em conjunto?

Primeiro é necessário um estudo dos processos repetitivos de uma empresa e dos índices de produtividade atuais. Uma vez conhecidas essas informações, é possível procurar uma solução que busque otimizar esses valores.

Então deve-se iniciar a fase de treinamento do robô, usando um mapeamento dos passos e regras a serem seguidos. Assim, ele pode manipular a interface do usuário da mesma forma que um funcionário faria.

Com uma aplicação RPA existente, é possível torná-la mais autônoma e preparada para aprender ao mesclar com soluções de ciência de dados e estatística.

Um sistema de RPA, normalmente, é mais simples de implementar do que métodos tradicionais e consegue resultados mais efetivos. Além disso, a manutenção também é menos custosa por conta da flexibilidade.

Ferramentas de RPA e IA são imprescindíveis para quem deseja impulsionar os negócios, reduzir custos e otimizar os processos de trabalho. Se quiser saber ainda mais sobre essas tecnologias, não deixe de assinar a nossa newsletter e receba sempre conteúdos relevantes no seu e-mail!